FUJA DA RECESSÃO COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA

O Brasil está atravessando um período de recessão técnica, além disso vamos enfrentar um aumento dos preços dos combustíveis, e o sentimento de parte da população, dos empresários e de alguns políticos, é de que o pior ainda se aproxima.

O brasileiro que tem mais de 30 anos, com certeza lembra como era o país antes de 1994, antes do plano real, era um ambiente de incerteza e de instabilidade. Mas depois do plano real, vivemos com mais estabilidade, tivemos um aumento na renda e no poder de compra. Mas agora é importante combater esse desânimo com a economia, pois caso esse desânimo aumente nós poderemos entrar em recessão.

Esse é o momento do brasileiro investir na sua educação financeira, adquirir conhecimentos que podem ajudar a desenhar um futuro com mais qualidade de vida, sem ter que abrir mão do presente, de realizar seus sonhos de consumo, e de não ficar inadimplente. Vamos a alguns passos que ajudarão a enfrentar uma possível recessão:

1 – Arrume a sua vida financeira – Equilibre os ganhos e as despesas, para honrar seus compromissos financeiros. Para realizar seus objetivos e ter um futuro seguro você precisa ter disciplina uma atitude diferente com o dinheiro. Para isso realize um exame financeiro por 30 dias, veja para onde está indo o seu dinheiro, descubra os excessos, trace com sua família objetivos e um caminho para alcança-los.

2 – Faça uma reserva de emergência – Sei que muitas pessoas estão sentindo o gosto de ter o poder de compra agora, mas no Brasil muita gente tem o hábito de gastar mais do que ganha e de pagar as contas quando e como pode, sem perceber que os juros corroem o seu poder de compra. É o momento de ter prioridades e de ter dinheiro guardado para qualquer imprevisto.

3 – Fuja do ciclo do endividamento – Esse ciclo começa com uma compra parcelada, no cheque, no cartão e no crediário. Por causa da falta de planejamento, essas parcelas vão se acumulando, e logo se percebe que não vai poder pagar a fatura do cartão toda. Nesse momento, a pessoa não quer admitir que foi a falta de planejamento e o seu consumo elevado como as verdadeiras causas do endividamento. Então ela ataca o efeito e vai usar o cheque especial ou fazer o pagamento mínimo da fatura do cartão de crédito, até chegar no momento que ela não consegue mais pagar o mínimo e também já “estourou” o cheque especial. Então é chegado o momento de recorrer aos empréstimos para quitar as dívidas. Depois a parcela do empréstimo já tá sufocando o orçamento e nesse momento muitas pessoas estão adoecendo fisicamente e emocionalmente.

4 – Eduque-se financeiramente – combata as causas do analfabetismo financeiro funcional para você ter mais qualidade de vida. Melhore sua saúde financeira através da mudança de hábitos, priorize seus sonhos e não o consumo.

Nesse momento as pessoas têm que se educar financeiramente, ir no caminho oposto que o governo está pregando, de aumento do consumo e de aumento do endividamento. O nível de pessoas endividadas é muito alto e isso é perigoso. Siga esses conselhos e mude sua vida para melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *